header

Revista nº 1

outubro 2001

NOVOS
AUTORES

Manuela Correia estreou-se, há um ano, com o seu primeiro livro de poemas: As Nuvens Não São Mais de Algodão, editado pela Elefante Editores.
Estes poemas inéditos destinam-se ao seu segundo livro a editar no próximo ano.

Manuela CorreiaMANUELA CORREIA

E haver na areia
mais brisa que palavras

Em que não fosse fugir de nós
a marca das peugadas

E haver no sol festejos
com círios de quermesses

E as ruínas do ser
que as ondas desfizessem

E haver só rugas de água
que a maresia exorta

E fosse um fumo branco
a certidão da morte


teatro da vida

Com tantas gavetas na memória
– e algumas mal arrumadas –
ás vezes é difícil situar ou conjugar
as cenas certas de algumas peças

E se chego a perder-me na procura
de uma pausa ou de uma deixa
são sempre as peças da infância
quem de novo me põe em cena


quero ser

Nos teus olhos quero ser mistério
que vás decifrando lentamente

No teu peito só quero ser alma
que vás soletrando ao som do tempo

Nos teus braços só quero ser pássaro
que vás decorando como símbolo

Nos teus ombros só quero ser verde
que vás enlaçando como um limo

No teu ventre só quero ser pluma
que vás retomando como brisa

No teu sexo só quero ser flor
que vás regando como respiras

Voltar